DRY MARTINI :: For Men Only




O Dry Martini é considerado o rei dos coquetéis. Símbolo de charme e elegância, e de elevada potencia alcoólica, o drink foi imortalizado por James Bond e considerado pelo escritor norte-americano E.B. White o “o elixir da quietude”. Mas são muitos os fãs da bebida: Hemingway, F. Scott Fitzgerald, Dorothy Parker, Dashiell Hammet e Frank Sinatra também gostavam de companhia do drinque.

Existe grande discussão a respeito da verdadeira origem do Dry Martini. A versão mais aceita é que ele teria sido criado por um barman chamado Martini di Arma di Taggia, que trabalhava no hotel Knickerbocker, em Nova Yorque. O desafio era criar um drinque extremamente seco para um poderoso magnata em 1910.

A receita criada consistia em:

2 partes London Dry Gin
1 parte vermute seco francês
2 toques de bitter de laranja
+ Mexa todos os ingredientes em um copo dosador
+ Coe para uma taça de Martini
Decoração: azeitona e/ou casca do limão

Outra história contada sobre sua origem é que durante a lei seca norte-americana (1920) o gim contrabandeado era tão ordinário que o vermute era usado para mascarar o mau gosto. Nesse período era tanto vermute adicionado à bebida que o seu sabor seco quase sumia. A sequidão, sua principal característica,  ocorre graças ao gim e justamente por isso é considerada uma bebida séria e para homens.

Mas não é somente sua origem que é discutida, sua receita também é assunto delicado. O escritor norte-americano Ernest Hemingway dizia que “o vermute nada mais é do que a sombra da garrafa sobre o gim”.

A receita encontrada comercialmente hoje é a seguinte:

75ml London Dry Gin
3 gotas de vermute seco francês
1 azeitona verde
+ Mexa os ingredientes em um  copo dosador com gelo
+ Coe para uma taça de coquetel gelada
+ Adicione a azeitona verde










Nos anos 50, uma ação de marketing arquitetada pela Smirnof usa o personagem James Bond para substituir o gin pela vodca, na proporção de metade vodca, metade vermute, trocando a azeitona por um casca de limão e principalmente, batido, não mexido - "Shaken, not stirred".

Já Frank Sinatra, gostava do seu dry Martini com a azeitona recheda com pimentão.

Como gosto de gim, prefiro a versão original, com azeitona e pouco vermute. E você, como gosta do seu Dry Martini?


PS: quer um mini-guia  sobre o London Dry Gin? Vem por aqui ! 

Conhece o relógio do 007? Ele existe e pode ser seu! Saiba mais clicando aqui.






Nenhum comentário:

Postar um comentário