"Seu narcisismo à venda” :: Yayoi Kusama no Tomie Ohtake




Narcissus Garden, 1966 -
stainless steel spheres, set of 800, 30 cm each
Cada uma das esferas poderia ser comprada ao valor de US$ 2 e continha a seguinte inscrição:
"Seu narcisismo à venda"



"Seu narcisismo à venda", bem provável que esta seja a frase icônica que defina o trabalho de Yayoi Kusama, cuja exposição abriu no Tomie Ohtake, agora no dia 22 de maio. E, talvez, o que defina ainda a sua importância dentro da arte contemporânea, como registro do comportamento atual.


Yayoi é uma das mais notáveis artistas japonesas que aos 85 anos consegue manter-se tão atual e tão intrigante no cenário artístico. Ouso compará-la a Louise Bourgeois, no instante que ambas apesar de idades avançadas conseguiram manter o teor inovador e ao mesmo tempo biográfico em suas obras.

Infinity Mirror Room - Phalli's Field, 'Floor Show', 1965
Sewn stuffed fabric, wooden panel, mirror, 250 x 455 x 455 cm98 3/8 x 179 1/8 x 179 1/8 in

Sua produção artística transita tanto pelas linguagens mais tradicionais da arte, como pintura e escultura, como por outras mais ousadas para o período: vídeo, instalações e performances (transformadoras de movimentos políticos sociais durante a década de 60).

Happening Explosión Anatómica en la estatua de Alicia en el país de las maravillas, Central Park
1968

Assim como madame Bourgeois, seu trabalho está recheado de intercomunicações com outra área de conhecimento, a psicanálise, revelando os seus traumas, impulsos retidos e relações com familiares que foram questionados – no caso da artista japonesa devido aos distúrbios psiquiátricos que atribuiu às suas alucinações visuais.


Amiga de artistas americanos como Georgia O’Keefe (que a incentivou a morar nos Estados Unidos), Andy Warhol, Alan Kaprow, Donald Judd, entre outros, foi uma transgressora de estilos, circulando por movimentos distintos em uma mesma obra - Surrealismo, Minimalismo, Pop, Abstracionismo Excêntrico e Arte Feminista, entre outros – foi mais um dos motivos que a tornou tão importante dentro da historiografia da arte e referência dos artistas contemporâneos.
Não por menos, a exposição se torna excitantemente questionadora, irônica e bem-humorada e faz do seu trabalho, tradutor de sua própria imagem. Tão próximo a sociedade narcísica dos dias atuais.



SERVIÇO:
Exposição no Instituto Tomie Ohtake:

De 22 de maio a 27 de julho, d
e terça a domingo, das 11h às 20h :: gratuito


Yayoi Kusama + Marc Jacobs para Vuitton





Em julho de 2012 a Louis Vuitton, na época sob direção criativa do miras Marc Jacobs, lançou uma coleção em parceria com a artista. Prints de poás, texturas esféricas e toda a linguagem das suas obras foi transposta para o universo da marca de artigos de luxo em couro. A grande abertura aconteceu em Nova York, na Quinta Avenida,  posteriormente as peças chegaram  aos mercados de Hong Kong, Tóquio e Paris.
“A atitude sincera de Marc Jacobs em relação à arte é a mesma que a minha. Eu o respeito como um designer magnífico. A Louis Vuitton compreende e aprecia a natureza da minha arte. E não é assim tão diferente do meu processo de criar moda”, disse Marc ao site The Cult.
Além da parceria com a artista plástica a Vuitton também já teve coleções criadas com nomes como o estilista e artista norte-americano Stephen Sprouse e o também japonês Takashi Murakami.















To celebrate the launch of its most significant global artistic collaboration to date, Louis Vuitton unveiled an extraordinary take-over of both Selfridges' legendary windows and
its ever-changing Wonder Room. An unprecedented 24-window design, the Concept Store as well as a Giant Yayoi Kusama Statue announce the collaboration between Louis Vuitton, the illustrious Japanese artist and Selfridges.




What led the Maison to collaborate with an Avant-garde Japanese artist like Yayoi Kusama?
Learn more about how Marc Jacobs and Yayoi Kusama first met.

Nenhum comentário:

Postar um comentário