Rio e Sampa :: as cidades dos museus







Estamos realmente entrando no cenário mundial em vários aspectos, inclusive o cultural. Além das demonstrações de brasilidade, como o samba, o índio e a Amazônia que sempre foram apresentados como artigos únicos e genuínos, as artes visuais vem recebendo grande destaque. Só que para isso necessitamos de espaços expositivos para que possamos mostrar nossa produção e fazer intercâmbio com demais artistas afim de que haja acesso a uma maior parcela da população.

Tirando as antigas (e inúteis) rixas de lado, o eixo Rio de Janeiro - São Paulo vem recebendo destaque com os novos museus que foram e serão criados nos últimos tempos. E elevam estas megalópoles a um desejado circuito de exposições que atraem turistas que vêm não somente pelas nossas belezas naturais e cultura popular, sem menosprezo a qualquer uma delas.
Fachada principal da sede do MAC-USP Ibirapuera

Entre eles estão três dos mais recentes espaços expositivos, o Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC-USP), o Museu de Arte do Rio (Museu do MAR) e a  Casa Daros (também no Rio de Janeiro)  que têm propostas bem interessantes para o circuito cultural, além de serem construções bem pensadas para as mostras artísticas que não perdem em nada para outros museus do mundo como o MoMA (Nova York), Reina Sofia (Madrid) ou George Pompidou (Paris), entre tantos outros que podemos citar.

Em comum, vemos soluções bem feitas para as construções que já existiam, além de aproveitamento e valorização de edifícios históricos que estavam a mingua.



Térreo com elementos arquitetônicos do projeto de Niemeyer 
Passarela de acesso para as novas edificações do MAC-USP
Terraço com vista aérea para a cidade de São Paulo


O MAC-USP utilizou-se de um edifício de Oscar Niemeyer, dos anos 1950, que estava nas mãos da administração pública, conhecido pelos paulistanos de “prédio do Detran”, em um anexo do Parque do Ibirapuera. Hoje, o prédio está totalmente restaurado com reforma assinada pelo próprio Niemeyer que ainda projetou dois anexos para exposições e em pleno funcionamento, com 13 exposições simultâneas ocorrendo em sua sede. 






Fachada principal do Museu do Rio com iluminação noturna
Maquete virtual do projeto do MAR
Projeto final do MAR com vista para o Pier Mauá
O Museu de Arte do Rio, conhecido como MAR, na cidade do Rio de Janeiro, por sua vez teve a ousadia de unir três diferentes construções de períodos e estilos totalmente distintos. O palacete D. João VI, o prédio da Polícia do Rio de Janeiro e a antiga rodoviária da cidade. O encargo do projeto é do escritório Jacobsen Arquitetura e trouxe para antiga Praça Mauá um frescor que há tempos era esperado por aqui. A reutilização da área central de uma metrópole, resgatando história e permitindo novos olhares para o espaço urbano. O prédio tem como objetivo unir o museu sobre a capital carioca, com a Escola do Olhar e áreas de cultura e lazer.


Fachada principal da Casa Daros no bairro do Botafogo
Antiga Capela, hoje saguão principal da Casa Daros
Um dos pátios internos da Casa Daros, com entrada para o museu e o restaurante



Por fim, a Casa Daros, de todas a única instituição particular sem auxílio governamental, segue o mesmo padrão no aspecto de reutilização de construções sub-aproveitadas pelo poder público. Sem fins lucrativos, a Casa Daros é uma iniciativa de uma bilionária suíça Ruth Schmidheiny, que possui uma das maiores coleções de arte contemporânea latinoamericana e decidiu abrir uma sede para a sua coleção na América Latina. A escolha estava entre Havana e o Rio de Janeiro, ainda bem que Cuba não facilitou. O edifício do século XIX foi inteiramente restaurado e possui amplo espaço expositivo, além de abrigar biblioteca, auditório e oficinas para cursos.

Ainda há muito mais a se esperar nestes próximos anos, uma nova sede do MAC na própria cidade universitária, assinado por Paulo Mendes da Rocha; nova sede do MIS - RJ (Museu da Imagem e do Som) do escritório Diller Scofidio + Renfro e o muito aguardado Museu do Amanhã, também no Rio de Janeiro, do conceituado arquiteto espanhol Santiago Calatrava, que já é considerado um futuro cartão postal arquitetônico para a cidade maravilhosa. Resta-nos usufruir e aguardar por novos espaços, não somente no eixo Rio-São Paulo, mas em outras cidades brasileiras.




Museu de Arte Contemporânea (MAC-USP Ibirapuera)

Pavilhão Ciccillo Matarazzo, Parque Ibirapuera
- São Paulo – SP
(11) 5573.9932
Horários: terça-feira a domingo das 10 às 18 horas

Entrada gratuita

Museu de Arte do Rio (MAR)
Praça Mauá, 5, Centro - Rio de Janeiro/RJ
(21) 3031 2741
Horários: terça-feira das 10h às 19h e quarta-feira a domingo das 10h às 17h
Entrada: R$ 8 e R$ 4

Casa Daros

Rua General Severiano 159, 
Botafogo - Rio de Janeiro - RJ

(21) 2138-0850

Horários: quarta-feira a sábado
 das 11h às 19h
 e domingos e feriados
 das 11h às 18h
Entrada: R$ 12 e R$ 6 e de quarta-feira, entrada gratuita 

Nenhum comentário:

Postar um comentário