O gênero no vestiário masculino :: Locker/Room por Francisco Hurtz









"A figura do homem é uma construção social. O modelo de masculinidade é passado há gerações em pequenos rituais cotidianos que, na maioria das vezes, passam despercebidos – afirma Francisco Hurtz. O artista plástico apresenta a exposição “Locker/Room” até o dia 28 de fevereiro de 2014 no Epicentro Cultural, no Sumarezinho, em São Paulo. Na mostra, ele discute os códigos sociais que legitimam a masculinidade e sua restrita linha de conduta, que quase sempre passa pela aprovação da sociedade. 
Desde o nascimento os homens são imersos num mundo diferente do mundo das mulheres. Esse mundo tem suas próprias regras, códigos e conduta. Cumprir de maneira clara as regras da masculinidade faz com que o sujeito seja aceito dentro do padrão social comum de masculinidade; a não aceitação, questionamento ou quebra de comportamento é logo identificada, denunciada e reprimida. A masculinidade é um território e o não pertencimento a esse 'lugar' cria a figura do homem estranho, que logo será expulso ou jogado à margem desse território.

A identidade social masculina é legitimada pela aprovação pelo olhar dos outros, homens e mulheres. O cumprimento dos códigos de conduta comuns à masculinidade leva à sensação de pertencimento. 

A afirmação de poder físico, sexual, intelectual e financeiro são expedientes comuns nessa experiência social. O simples convívio com a sociedade machista leva os meninos a participarem dessa tradição que os farão aprender a ser homem segundo as regras do patriarcado ou sofrer pela incapacidade de lidar com essas regras.




Locker/Room, individual de Francisco Hurtz
o quê: pinturas, desenhos e gravação (19 obras)
período: Até 28 de fevereiro de 2014 (terça à sábado, das 14h às 20h)
local: Epicentro Cultural - rua paulistânia, 66 l sumarezinho l são paulo l sp
(estação Vila Madalena l Linha 2 - Verde)
tel: 11 3938.6096
quanto: grátis
classificação: 14 anos
website: www.epicentrocultural.com





Postagens mais visitadas