Asas para a gentileza



Levei um tempo para escrever este post: como escolher palavras que conduzam o leitor ao mundo encantado da Toudou, onde tudo é especial? Fui conversar de pertinho com essa dupla de mãe e filha que, saibam disso ou não, enchem nossos corações de amor e nosso dia a dia de mais significado com esse trabalho. Se eu conseguir fazê-los sentir um apertinho bom do lado esquerdo do peito enquanto lêem esse post, então acho que cumpri minha missão de hoje. 

A Toudou* acredita que fazer suavemente torna a vida mais surpreendente. Como um passarinho, anuncia com piado querido (“túdú”) que deu jeito de botar asas na gentileza para ela vir pousar em nossos lares.

Sua história sobrevoa lindamente o passado, presente e futuro e no seu ninho abriga três gerações de uma família: avós, mãe e filha. Vovó materna era escultora, vovó paterna pintava em porcelana e foi assim que Regina, a mãe, e Pat, a neta, tiveram sua rota anunciada.









Regina e Pat garimpam pratos antigos e pintam para eles uma nova história. Procuram descobrir suas origens (pesquisando o logotipo impresso no verso da porcelana) e têm profundo respeito pelas marcas que carregam do passado (ao imaginar uma nova pintura as artistas procuram compor com o desenho original). Conversam com o prato no presente e juntos estabelecem o seu futuro (nem sempre o que imaginam é aceito pela peça: o efeito da tinta, por exemplo, pode se comportar de maneira diferente da desejada). Alguma relação com a sua própria vida?

Prato produzido na Polônia antes da fábrica ser ocupada pelos nazistas.



A primeira coleção sobrevoou a própria casa: retratou o universo dos passarinhos em homenagem à liberdade e mostrou ninhos, penas, ovos e filhotinhos.








A segunda coleção chamada de “Navegar é preciso” reforçou o conceito de liberdade e deu asas para peixes e baleias.  




Prato produzido na Inglaterra em 1912

A Toudou não produz objetos, compartilha amor. Pat e Regina não tem clientes, tem amigos. E seu trabalho não é vendido, simplesmente pousa nas mãos certas. Ter um prato decorativo da Toudou no seu lar é botar fé diariamente num mundo mais querido. É anunciar aos visitantes que ali reinam os bons valores e moram pessoas do bem. É como receber um abraço carinhoso. É como ter um passarinho que canta gentileza na tua janela para te acordar para um mundo mais belo.


*O som em francês significa “docemente” mas a expressão foi importada do inglês “to do”que quer dizer “fazer”. O símbolo da Toudou é uma representação céltica para três dimensões: passado, presente e futuro, neste caso relacionado aos pratos e também às três gerações da família.



Para conhecer mais: 
www.toudou.com.br
www.facebook.com/toudoustudio 
intagram.com/toudoustudio 








Um comentário:

  1. Excelente texto, Tanise. Obrigada pelas palavras gentis mas principalmente por teres entendido tão bem o que a Toudou se propõe. bj
    Regina

    ResponderExcluir