“Me deixa ser” :: as gostosuras de Negahamburguer




O nome "Negahamburguer" foi o que me chamou a atenção. Assim como eu, garanto que muita gente já está imaginando cupcakes, brigadeiros e afins. Ou mais obviamente, hambúrguer. Mas as gostosuras que Negahamburguer produz são outras e não alimentam o corpo, mas sim a alma e a autoestima de muitas mulheres. Das gostosuras das próprias curvas ela tira inspiração para desenhar mulheres roliças. Vale também mulheres magrinhas, com peito caído ou sem peito, com flacidez, com vitiligo, deficientes físicas e até peludas mas sempre à vontade com o que são: REAIS.



O condinome Negahamburguer adotado por Evelyn, 24 anos, é uma homenagem à sua boneca de infância, gordinha e fofinha, muito adequada para identificar essa artista que questiona a obrigatoriedade dos padrões estéticos e quase sempre inatingíveis que a sociedade impõe às mulheres. Através da arte urbana, como grafite, lambe-lambe e stickers; ou pinturas e aquarelas. Ela incentiva as mulheres a se apropriarem de seu corpo e aceitarem as suas formas, à revelia dos estereótipos atuais.

Com tão pouca idade, é surpreendente detectar o conteúdo que expressa em seus desenhos, unindo de forma antagônica o meigo e o brutal. De um lado, vê-se candura e conforto nas mensagens positivas destinadas às mulheres que sentem-se cobradas a serem o que não são. De outro, um tapa na cara de quem as julga.










Questionada sobre a polêmica que seus desenhos geram, quando mostram mulheres nuas ou peludas, ela responde dizendo que não entende a polêmica já que trata de mulheres e situações reais.

E são mesmo! Prova de que muita gente se identifica com o que Negahamburguer desenha são as 15 mensagens em média que recebe diariamente com elogios e depoimentos de mulheres que encontram no trabalho desta artista um alento. Frases retiradas destes depoimentos passaram a acompanhar seus desenhos. Aqui vão algumas delas:



Meu peso é ideal”

“Me deixa ser”

“Miss solta dessa prisão porque eu não preciso de padrão”

“Mas afinal qual é a finalidade de usar roupas que disfarcem sua verdadeira forma?”

Evelyn não fez cursos. Isso tudo está dentro dela. Sobre as minhas perguntas, ela responde dizendo que é difícil escrever ou falar, mas, se pudesse desenhar conseguiria me explicar. A habilidade de se expressar desenhando talvez tenha sido o motivo pelo qual começou a grafitar situações do seu cotidiano aos 19 anos. Aos poucos foi percebendo que os desenhos dos quais mais gostava eram os que faziam mais sentido para as outras pessoas. E decidiu que a importância de sua criação estavam em passar uma mensagem aos outros.  

Interessante observar que toda essa história acontece no universo urbano. Os muros da cidade serviram de plataforma para Negahamburguer se expressar e as pessoas que com este concreto convivem é que legitimaram seu trabalho.

Prova dessa legitimação é que a artista inscreveu o projeto de um livro reunindo seu trabalho no Catarse (rede de financiamento coletivo) e obteve o dobro do que pediu. Gostastes da história? Então aguarde lançamento previsto para fevereiro de 2014. Enquanto isso, se também tens gostosuras assumidas ou em processo de, podes pedir à Negahamburguer um retrato, posando para ela ou mandando uma foto para o email da artista: negahamburguer@uol.com.br

Clique aqui para conhecer o blog da artista.





















Nenhum comentário:

Postar um comentário