China e a cidade fantasma :: Ordos Kangbashi





Ordos Kangbashi é uma "cidade Fantasma"? O que explica a imensidão vazia em um país como a China, com índices tão altos de crescimento econômico e urbano? Será a cidade sem uso uma das formas extremas do city-making contemporâneo?

Como a China não cobra impostos de propriedade imobiliária, não custa muito manter um imóvel vazio. Além disso, habitantes das províncias que ascendem socialmente costumam comprar imóveis nas cidades a fim de garantir autorização de residência para os filhos, o que permite acesso a melhores escolas e empregos.

A municipalidade de Ordos foi criada em 2001 em uma área até então ocupada por povos nômades e rurais. Com extensão de 87 mil quilômetros quadarados (57 vezes maior que o município de São Paulo), compreende o vilarejo de Yiqie a cidade de Dongsheng, já existentes além da nova área administrativa de Ordos Kangbashi, planejada para mais de 1 milhão de habitantes, mas até agora praticamente despovoada.


O local possui todos osatributos de uma cidade criativa: um teatro de ópera, uma biblioteca de ponta, uma universidade, um centro cultural e um grande museu (ainda sem acervo), alojados em edifícios icônicos. Quase toda a população que freqüenta a cidade durante o dia - servidores públicos, corpo docente, funcionários e estudantes universitários (ainda menos de mil) - mora em Dongsheng, situada a 25 quilômetros de distância.

Rica em jazidas minerais, a região autônoma da Mongólia Interiro, onde existem possíveis conflitos de fronteira, abriga uma minoria étnica. Daí a celebração de signos da identidade mongol na foram de edifícios públicos e monumentos da cidade. Foi perguntado 




FONTE:  Centro Cultural São Paulo







Nenhum comentário:

Postar um comentário