there´s no place like home!



Todo mundo sabe que eu adoro hotéis. Não importa a quantidade de estrelas, mas o fato de estar hospedado me fascina. Me fascina viver entre check in e check out. Tudo é novo, mas tudo respeita um padrão tão rigoroso que você consegue se sentir familiarizado e mantém o controle o tempo todo. Comparo a dinâmica dos hotéis à da corte e à hierarquia das corporações...
Adoro as regras, normas e padrões de conduta hoteleiros. Se não fosse jornalista, sem sombra de dúvida trabalharia em um hotel.


Mas todo mundo sabe que como um bom ariano minha fogueira alcança labaredas altíssimas, queima, transmuta, metaboliza e se cansa. Por isso, é sempre muito bom voltar para casa. É incrível poder ver a cidade se aproximando. Lá do alto São Paulo se parece com um incrível brinquedo, uma maquete caótica de blocos de lego.


Somente quando voltamos conseguimos resignificar algumas coisas. O distanciamento é capaz de milagres. Mas estar longe de casa permite conhecer novas pessoas, ouvir histórias diferentes, ter contato com outros referenciais e bagagens. Gosto muito deste ciclo de trocas, sempre trago ótimas surpresas na mala.


Ainda assim, voltar é maravilhoso. Me reconectar a São Paulo é vital. Meu DNA paulistano enverga pelo delicioso lifestyle que somente o concreto das metrópoles possibilita. Ser filho da metrópole tem um gosto incrível e permite uma visão “bastante especial”, diria um grande amigo.

Como Dorothy bato meus sapatos de cristal e volto ao lar.

PS: Obrigado beagá! Tudo foi incrível.

Um comentário:

  1. Muito louco... tb adoro viver e me sentir entre check in e check out de hotel, aeroporto, cafés da manhã, ar condicionado, carpetes, mimos que tem no banheiro dos hotéis, carregadores e concierges...
    Mas a volta pra casa, sem sombra de dúvidas é incrível!!! dá uma saudade...

    ResponderExcluir